Assine nossa newsletter

EQL lança Q+ Capital, iniciativa de R$ 20 milhões para apoiar negócios de mulheres

Candidatas ao projeto devem preencher formulário disponível no site da EQL e ter o Mínimo Produto Viável (MVP)
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
Elas que Lucrem lança o Q+ Capital para financiar empreendedoras que querem alavancar o seu negócio

Se você é mulher, empreendedora e tem um negócio que precisa de mais dinheiro para ser expandido, é importante sempre estar de olho em novas oportunidades de investimento. Com o intuito de alavancar negócios de mulheres, a fundadora, idealizadora e CEO da Elas que Lucrem, Francine Mendes, lançou o Q+ Capital, projeto feito com recursos próprios para financiar essas empresas. 

Francine Mendes explica que para as empresas se inscreverem na seleção do projeto, precisam ter o Mínimo Produto Viável (MVP) já feito ou em andamento, que é basicamente uma versão teste de serviço oferecido. A ideia é que as empreendedoras recebam um financiamento entre R$ 500 mil e R$ 2,5 milhões. O capital disponível para os investimentos ao longo deste e do próximo ano é de R$ 20 milhões.

OLHA SÓ: Como escolher seus sócios e seu modelo de sociedade

Ela explica que as empreendedoras podem inscrever negócios de várias áreas e setores, mas empresas digitais e de tecnologia são a prioridade. “Os nossos olhos estão bem atentos em projetos tecnológicos e totalmente digitais, justamente porque porque priorizamos essa flexibilização do mundo digital que tanto ajuda a vida da mulher, já que ela pode trabalhar de qualquer lugar e ao mesmo tempo gerenciar a sua vida”, diz Francine.

A CEO da Elas que Lucrem destaca ainda que a importância desse tipo de investimento nas mulheres é que colabora com a diminuição da diferença entre homens e mulheres no mercado de trabalho.

Um levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostrou que o percentual de domicílios brasileiros comandados por mulheres saltou de 25% em 1995, para 45% em 2018, principalmente por causa do crescimento da participação feminina no mercado de trabalho.

“As mulheres ganham menos do que os homens, elas têm menos acesso aos produtos financeiros porque procuram menos, muitas têm medo de lidar com o dinheiro. A gente sabe que o sistema financeiro foi desenvolvido para a mulher achar que é inatingível, queremos transformar isso ao facilitar os processos e ajudar no financiamento do negócio”, afirma.

Atualmente, três negócios já estão sendo analisados pela equipe da curadoria de investimentos. As interessadas em se inscrever devem acessar o site da EQL e preencher o formulário com todas as informações solicitadas. “É importante salientar que olhamos muito o perfil da empreendedora, queremos ser parceiros ou investidores do negócio”, diz Francine.

No formulário, as mulheres precisam descrever o modelo de negócio, o perfil da administradora, quais as ferramentas para torná-lo lucrativo e onde pretendem chegar.

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL Newsletter

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Participe da live Meu Primeiro Investimento

 

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem:

Assine nossa newsletter