Serasa muda método de calcular score e eleva pontuação de brasileiros

Nesse novo modelo do Score 2.0, o cálculo passa a atribuir ainda mais peso aos bons hábitos financeiros
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email

A Serasa anunciou hoje (26) que está modificando o cálculo do score de crédito dos consumidores, com o objetivo de beneficiar bons pagadores.

A partir desta quarta-feira, alguns brasileiros já começam a ter acesso a nova pontuação de crédito, o Serasa Score 2.0. Nesse novo modelo, o cálculo passa a atribuir ainda mais peso aos bons hábitos financeiros, informações que vêm do Cadastro Positivo, que mostra o histórico de pagamentos, como cartão de crédito, empréstimos, limite de crédito, entre outros.

Além disso, a nova metodologia dá menos peso ao histórico de dívidas. A atualização estará disponível primeiramente no aplicativo da Serasa e poderá ser consultada por toda a população nas próximas semanas.

OLHA SÓ: Ibovespa avança com empresas aéreas entre maiores altas

O que é o Serasa Score?

O Serasa Score 2.0 é uma pontuação de crédito que vai de 0 a 1000 e indica para o mercado quais são as chances de o consumidor pagar as contas em dia. Ou seja, essa é a pontuação que mostra qual é o nível de risco de se dar crédito a uma pessoa com base no seu comportamento financeiro atual.

Como o Serasa Score 2.0 é calculado?  

A Serasa calcula o Score 2.0 com o uso de critérios que são divididos em grupos principais. Cada categoria tem uma importância e um peso para determinar a sua pontuação. 

O cálculo considera informações positivas e negativas do consumidor. Por exemplo, dívidas em atraso reduzem a pontuação. Por outro lado, estabelecer um bom histórico de pagamentos de crédito aumenta o Serasa Score 2.0.

Outro fator que foi atualizado é a faixa de pontuação. Agora, um score muito bom está entre 701 e 1000 pontos; bom, entre 501 e 700; regular, entre 301 e 500; e baixo entre 0 e 300.

Dados positivos (cartão de crédito, consórcio, consignado, empréstimos e financiamentos), comportamentos de pagamento, tempo dos contratos e tipos de contratos representavam 26% da nota no modelo antigo e passarão a representar 65% agora. Em contrapartida, informações de dívidas, histórico de regularização e em aberto que tinham peso de 57% passarão a significar 19% no Score 2.0. Consultas para novos contratos de serviço e crédito terão peso semelhante, a mudança é de 17% para 19%.

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: