Assine nossa newsletter

Ibovespa fecha em alta com aval externo e trégua político-institucional

Índice ainda reflete nota do presidente Jair Bolsonaro publicada na última quinta-feira (09)
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email

O Ibovespa fechou em alta hoje (13), endossado pelo clima positivo nos mercados no exterior, além da relativa trégua na tensão político-institucional do país, embora questões como a dos precatórios persistam no radar de agentes financeiros.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,85%, a 116.403,72 pontos, tendo ultrapassado os 117 mil pontos na máxima. O volume financeiro da sessão somou R$ 25,8 bilhões.

LEIA MAIS: Aplicações no Tesouro Direto poderão ser resgatadas no mesmo dia

Na visão do sócio da Rio Gestão de Recursos André Querne, a bolsa ainda reflete a nota do presidente Jair Bolsonaro na última quinta-feira, que distensionou, pelo menos no curto prazo, o ambiente político-institucional.

Tal alívio, segundo ele, abre espaço para a retomada das discussões sobre temas relevantes, como o desfecho envolvendo os precatórios, bem como para um ambiente mais construtivo do ponto de vista de reformas.

Destacando que muito do cenário negativo do país já está nos preços das ações, Querne acrescentou que a trégua abre espaço para recuperação das ações, principalmente porque as empresas listadas passam por um momento muito positivo.

“É o que está acontecendo hoje”, afirmou.

Na nota divulgada na última quinta-feira, Bolsonaro buscou apaziguar os ânimos, afirmando ter respeito pelas instituições da República, após atacar na terça-feira ministros do STF e ameaçar descumprir ordens judiciais. As declarações feitas durante as manifestações de 7 de Setembro estressaram investidores, e o Ibovespa afundou quase 4% no dia seguinte.

VEJA TAMBÉM: Plataforma de infraestrutura de crédito Captalys pede registro para IPO

Para o diretor de investimentos da BS2 Asset, Mauro Orefice, manifestações contrárias a Bolsonaro mais fracas neste último fim de semana corroboraram a melhora no pregão, pois afastam o risco de eventual impeachment do presidente no curto prazo.

Ele ressaltou que uma melhora mais consistente dos ativos depende de maior visibilidade sobre assuntos como o dos precatórios, que tramita no Congresso.

A sessão positiva ainda encontrou suporte na trajetória em Wall Street e na alta dos preços do petróleo.

Destaques:

– MÉLIUZ ON subiu 12,82%, engatando a terceira alta seguida, enquanto ainda acumula uma perda de 1,3% em setembro e de quase 50% desde as máximas em julho.

– BANCO PAN PN avançou 9,45%, melhor desempenho entre os bancos do Ibovespa, que tiveram alta generalizada, com ITAÚ UNIBANCO PN e BRADESCO PN subindo 1,25% e 2,05%, respectivamente.

– GERDAU PN ganhou 0,77% após o grupo estimar efeito positivo de cerca de R$ 1,5 bilhão nos resultados do terceiro trimestre com processo envolvendo a Eletrobras.

– VALE ON teve variação negativa de 0,05%, após o contrato futuro do minério de ferro de referência em Dalian, na China, fechar em queda de 3,5%.

– PETROBRAS PN avançou 3,51%, favorecida pela alta do petróleo no exterior. A companhia também deve arrendar terminal de regaseificação na Bahia por pouco mais de R$ 100 milhões de reais, disseram fontes à Reuters.

– TOTVS ON cedeu 0,52%, entre as poucas quedas da sessão, após anúncio de oferta restrita de até 64.795.500 papéis, que a empresa de tecnologia e produtos de crédito espera precificar em 21 de setembro.

(Com Reuters)

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL Newsletter

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Participe da live Meu Primeiro Investimento

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem:

Assine nossa newsletter